domingo, 1 de junho de 2008

The I Heart Revolution - A Revolução Eu Amo

Abaixo, um texto do Joel Houston, sobre o documentário do Hillsong United. 
Fiquei "de boca aberta" com a simplicidade que expressa a missão dessa geração.
Vale a pena ler.




Eu tenho uma camiseta. Ela tem escrito "Eu" - que acho que é uma referência pessoal à pessoa usando a vestimenta, um coração - que por um acordo tornou-se o símbolo universal para o amor e um "N" em pé ao lado de um "I" – que se refere especificamente à cidade de Nova Iorque, ao contrário de outras possibilidades acrônimas como "nebulosa infância" ou "nariz do Ivan".

Agora eu simplesmente gosto da camiseta, mas a verdade é: eu "amo" Nova Iorque, amo mesmo, é uma cidade incrível; o horizonte, as luzes, os marcos, o passo frenético de tudo com suas orquestras de sirenes, buzinas e vida em movimento, uma estátua chamada liberdade, Táxis cor de banana, o céu perdido em meio a arranha-céus e no meio de tudo uma selva dentro de uma selva fingindo ser um parque. Eu amo. Existe intriga e personalidade para ser encontrada em cada esquina. É uma cidade de mil personalidades, um coquetel de culturas e cores fundidas para criar uma paisagem que de muitas formas se tornou o símbolo da era moderna, mas o que faz de Nova Iorque, Nova Iorque e o que eu mais amo nesse lugar são as pessoas. Elas são de fato a sua definição. Elas são o movimento, a energia, a vida dentro das estruturas, são a paisagem, os alto-falantes, a História e o futuro, elas são Nova Iorque e são elas que eu amo.

Sabe, o mundo é um lugar feito de lugares e cada lugar tem uma história e a história de cada lugar é refletida no que se torna sua cultura. A própria cultura é definida através do seu povo e o povo, bem, eles são o futuro e o futuro é agora...

Então, olhando para isso na mesma luz, mas de outro ponto de vista, neste momento na história, nós somos o povo nos lugares e somos nós as pessoas definindo as cultura e somos nós que estamos criando a História. Logo a pergunta deve ser feita: Se somos o futuro, como ele será?

Eu não sei você, mas se nossa geração for lembrada por ipods, myspace e youtube, nós erramos. Se a história falar de nossa geração como pioneiros individualistas da era digital, dos realitys shows e das celebridades com propósitos, nós teremos falhado. O mundo vai mudar sozinho, para melhor ou pior. Ele muda diariamente, mas quem serão as pessoas que o moldarão e como ele vai ficar?

Por si só, revolução não é nem ruim nem boa. Revolução representa mudança, uma virada de cultura. A história é marcada por revoluções sociais e políticas, algumas representaram vitórias, liberdade e justiça, mas por outro lado, muitas se tornaram representações infames de desespero, opressão e injustiça. Tudo que o mal precisa para prosperar são homens bons que não fazem nada para a igreja - as mãos e os pés de Jesus e Seu plano para a salvação para essa grande e quebrada esfera de terra, água e vida que nós temporariamente chamamos de casa. Isso nunca foi tão urgente. É tempo de uma revolução alimentada por um descontentamento com a vida centrada em si mesmo e a fé complacente, guiada por um desejo pela verdade, o amor e a justiça...

E é isso que isso é... Toda geração precisa de uma revolução e essa tem que parecer, soar, andar e respirar como amor. Não é um conceito novo, é um conceito eterno, é a razão pela qual vivemos, é o chamado fundamental do que significa ser um seguidor de Cristo...

Ame a Deus. Ame as pessoas. É isso. É essa a revolução. Nossa, que revolucionário, eu sei, mas se nós compreendermos o que isso significa, se estabelecermos em nosso pensamento como isso é e começarmos a vivê-lo, nós mudaremos o mundo. Não é tanto em relação às coisas grandes, é só nas coisas, é sobre as pessoas nos lugares sendo a resposta. Nos lugares e juntos, se tornando a resposta para as coisas grandes, é sobre o seu quintal, o meu quintal...
 
O mundo diluiu o amor a slogans, camisetas, canções pop infantis e excursões para indulgência visual banhadas à pipoca. Tudo bem com essas coisas, mas nós jogamos a palavra por todo canto, confundimos sua definição, diminuímos o entendimento do mandamento de Deus. O amor é a emoção humana essencial, é o desejo de todo ser humano experimentar e por sua vez expressar o amor e Deus mesmo É amor. Ele deseja ser amado. Quem são os portadores de Seu Espírito? Somos nós...

Então esse é o chamado. Essa é a missão e é isso que representa.

Uma geração expressando sua adoração e além, expressando seu coração pela adoração na ação do amor em relação a Deus e em relação ao mundo em que vivemos, as pessoas que o habitam. Não é uma questão de acentuar a escuridão, é uma questão de se tornar a luz que dissipa as trevas, é o evangelho e é agora. Estamos todos nisso juntos...

Ser salvo não nos custa nada. Ser discípulo nos custa tudo.

2 comentários:

Tati Rodrigues disse...

O mundo necessita de atos de amor, que sejam expressos todos os dias e de todas as formas... não falo de assistencialismo, de solidariedade... estou falando exatamente do que li nestas linhas em seu blog...

Este é o anseio em meu coração! Agradeço ao Pai por haver pessoas que conseguem expressar aquilo que só consigo gemer em oração ao Pai...

Uma revolução é preciso! E nós somos esta geração, escolhida e este é o tempo!!

Faculdade de Teologia disse...

Deus abençõe!

abs!